Curso de Oratória

Sabia que um curso de oratória pode ajudar a resolver aquele medo de falar em público para vender um produto ou ideia é angustiante para milhões de pessoas. Veja mais aqui!

foto 1 Curso de Oratória: saiba a importância para a sua vida!

Um Curso de Oratória tem se tornado uma opção eficaz para milhões de pessoas que têm, ironicamente, uma dificuldade associada à maior habilidade do ser humano: comunicar-se.

Não falamos tão somente das nossas conversas sociais e íntimas, na capacidade de ser simpáticos, confiáveis ou divertidos com amigos, familiares e outras pessoas do nosso círculo íntimo.

Essa dificuldade – que costuma se transformar em fobia para muitas pessoas, nos casos mais extremos – vai muito além de dominar o tema diante de plateia amistosa; é preciso vencer a dificuldade para discursar diante de clientes, diretores, alunos ou um entrevistador.

Quando falamos especificamente da oratória, é um exercício de domínio do conteúdo aliado a técnicas de narração para transmitir a mensagem de forma clara, atraente e eficaz.

O bloqueio emocional (popularmente chamado de branco), o nervosismo, a postura corporal inadequada e a falta de uma fluência no discurso fazem ótimas apresentações ficarem arrastadas, entediantes e se perderem no objetivo.

Você já sentiu que toda a preparação intelectual se perdeu porque a apresentação parecia ter entrado num labirinto? Que era uma plateia reativa quando você achava que seria receptiva?

Então este artigo é para você – ou aquele amigo que você quer ajudar a crescer!

Mas antes de tudo: Você sabe o que Oratória?

Se olharmos um dicionário, vamos encontrar uma definição: a arte de falar em público

Na verdade, essa é uma visão que prejudica o entendimento, pois dá a impressão de que a oratória é um dom natural, o que não é uma verdade.

Muitas pessoas são extremamente comunicativas desde crianças e passam a ideia de que nasceram com dom. Porém, quantas delas não resistem a cinco minutos de uma apresentação para a diretoria da empresa?

Isso não ocorre por incapacidade, mas porque a oratória é uma habilidade que deve ser desenvolvida, um conjunto de técnicas que permitem criar discursos envolventes.

Quando definimos desta forma, fica mais fácil entender quais os pontos fortes que devemos reforçar e as dificuldades que precisamos superar para falar em público de uma forma clara e eficiente.

Qual é a origem da oratória?

Não há registros definitivos a respeito, mas provavelmente surgiu no Egito Antigo com os faraós e seu grande poder de persuasão e a associação ao divino.

Porém, é na Grécia Antiga que ela se tornou-se uma parte essencial da retórica, pelos grandes embates de ideias travados entre políticos, lideranças populares e filósofos. 

A oratória era um recurso importante para a retórica de convencimento de políticos com os povos e também para disseminação do pensamento filosófico.

Demóstenes é considerado, por muitos estudiosos, como o maior orador de todos os tempos. Talvez seja impreciso afirmar isso, pois os estilos se adaptaram ao longo dos séculos, dos discursos na Ágora às falas presidenciais em tempo real na TV.

Oratória e retórica são a mesma coisa?

Não!

Muitos acham que retórica e oratória são a mesma coisa, outros acham que são opostos. Mas nenhum dos extremos é correto.

A retórica está ligada à profundidade de conhecimento sobre o assunto e à capacidade mental da pessoa de transformar este saber em teses atraentes e antes de definir o veículo.

Uma boa retórica pode estar em toda forma de comunicação – livro, artigo de internet, tese de graduação, discurso, conversa informal ou comentário de rede social – e está ligada a capacidade de persuasão, seja de leitores ou espectadores. 

A oratória é a forma de usar com eficiência a comunicação oral – em entrevistas, discursos e conversas.

Portanto, podemos dizer que retórica é o conteúdo e oratória é uma forma

Pessoas com excelentes retóricas podem ter muita dificuldade de expô-las verbalmente, por timidez, falta de uma estrutura organizada de discurso e outros fatores.

Por isso, um curso de oratória torna-se importante em momentos que podem ser decisivos na vida delas.

Quais os objetivos ao dominar a oratória?

Dominar a oratória é mais do que falar bem, com clareza e captar a atenção e a simpatia da audiência. Requer inúmeros recursos que aperfeiçoam e tornam o discurso atraente.

Podemos destacar quatro objetivos principais, nos quais há uma série de outros cuidados.

Gerar a compreensão completa e generalizada

Uma oratória eficiente parte deste princípio; é preciso que toda a audiência compreenda com clareza o tema, o desenvolvimento dele e a retórica do orador

Sem isso, o ritmo do discurso se perderá e os resultados serão desiguais, prejudicando a eficácia do discurso.

Provocar a imaginação da audiência

Pode ser o entrevistador para um emprego ou um auditório cheio, é fundamental que a audiência desenvolva a imaginação em torno da sua narrativa.

Isso possibilita uma conexão emocional que aumenta o engajamento com o discurso.

Promover a determinação

Todo os discursos, sejam quais for as circunstâncias, têm um objetivo em comum: provocar a determinação na audiência, levar as pessoas a pensar, refletir e, em vários casos, tomar uma decisão.

Um exemplo típico são os discursos de políticos, que nada mais são do que entrevistas de candidatos a cargos públicos – com a diferença do número de entrevistas (comícios, debates, propaganda), o que ajuda o candidato a aprimorar a oratória.

importancia-oratoria-vida-profissional

Qual a importância da oratória na sua vida?

A importância é tão grande na vida cotidiana que deveria ser uma matéria em currículo de escolas e universidades. Tornar-se um bom orador pode ampliar oportunidades em diversos aspectos da vida.

Vamos falar delas.

1 – A oratória na vida profissional

Esse é a importância principal de uma estratégia de oratória; aumentar as chances de sucesso na trajetória profissional, desde colaboradores a empreendedores.

Uma negociação de venda é quando o discurso de qualidade faz toda a diferença. Para vender com eficiência, é preciso ter a melhor oratória possível, pois é o momento em que os três objetivos listados anteriormente precisam ser alcançados.

Além disso, no ambiente corporativo, somos confrontados com inúmeras situações em que é preciso ser um bom orador para vender ideias, principalmente em posições de liderança.

2 – A oratória na vida acadêmica

Como dissemos anteriormente, aprender oratória deveria fazer parte da grade curricular, pois o talento de orador será fundamental em diversas ocasiões.

Apresentações de trabalho e de teses, especialmente no ensino superior, são ocasiões em que o poder da oratória pode representar a aprovação e a graduação, além do ambiente acadêmico ser o ideal para chamar a atenção como um orador eficiente.

3 – A oratória na vida pessoal

Imagine a quantidade de vezes por dia em que você foi, sem imaginar, precisava ser um ótimo orador e não conseguiu cativar e convencer?

Pode ser uma negociação de compra de um imóvel, uma discussão em família ou com sócios para montar um negócio.

É muito comum que associemos a importância da oratória a eventos profissionais e acadêmicos ou ao mundo político e esquecemos das inúmeras situações cotidianas em que ser um bom orador aumenta as chances de sucesso.

O momento mais emblemático é o das entrevistas de emprego: é a hora em que a discursar com objetividade e clareza serão decisivos para convencer o recrutador de que você é a melhor opção para a vaga.

Além disso, quando se tem domínio da oratória, principalmente fazendo um curso para orador, você adquire uma competência para ajudar em todas as oportunidades pessoais onde a articulação e a capacidade de convencimento são fundamentais.

Quais os tipos de oratória existentes atualmente?

Para entendermos melhor os objetivos de cada discurso e, consequentemente, quais técnicas, existem quatro tipos de oratória atualmente.

Apesar dos nomes serem muito marcantes, cada estilo tem uma abrangência maior, que é definida pelos seus métodos em objetivos. Vamos falar um pouco de cada um deles.

1 – Oratória forense

Certamente é o estilo de oratória mais conhecido das pessoas, pois é presente nos tribunais, praticado por advogados de defesa e acusação. 

A base do estilo forense de oratória é a defesa de um ponto de vista com base em provas, argumentações, evidências e um raciocínio lógico de extrema complexidade. A capacidade de persuasão é fundamental.

No dia a dia, encontramos diversas situações em que precisamos dominar a oratória forense para defender opiniões, principalmente em ambientes corporativos competitivos.

Considere este estilo se ocupar posições de liderança intermediárias, onde os pares são muitos e há uma disputa interna – sadia ou não – por espaço.

2 – Oratória política

É o gênero de oratória que conhecemos no mundo político, onde é o foco é transmitir entusiasmo, crenças, valores e convencer pessoas sobre as vantagens de uma visão de mundo e um projeto político.

Como podemos ver, vendedores e líderes nos mais variados setores podem se beneficiar do domínio da oratória política, que tem como base a persuasão e a formação de parcerias.

foto 3 - oratoria-politica

3 – Oratória religiosa

É o perfil de oratória onde predomina a transmissão de ensinamentos e valores morais, conselhos sobre condutas e adota um tom reflexivo e sereno.

Ele está fortemente presente nas lideranças religiosas, onde podemos encontrar alguns dos melhores oradores do mundo e que usam a oratória religiosa com forte apelo emocional para persuasão.

É um estilo que faz a diferença para quem tem projetos onde o magnetismo pessoal é um aspecto fundamental para o sucesso.

4 – Oratória pedagógica

A oratória pedagógica é baseado na transmissão de conhecimento sem um foco de persuasão ou defesa de um ponto de vista pessoal.

Ele é o perfil predominante nos profissionais de ensino e aqueles que trabalham ministrando cursos, palestras e workshops, como os instrutores de treinamento independentes ou de empresas.

Qual ou quais desses estilos predominam no seu dia a dia? É bastante comum que uma pessoa precise se aprofundar em mais de um.

Para um advogado, certamente a oratória forense é essencial para aumentar as suas chances de sucesso em tribunais. Porém, se ele também é um professor universitário, dominar as técnicas de oratória pedagógica é um diferencial importante.

Em um curso de oratória com qualidade, todos os estilos são abordados e você pode focar aqueles que serão mais importantes nas suas atividades.

5 pontos de atenção para se tornar um orador de sucesso

Em um curso para oratória de qualidade, você aprenderá uma série de técnicas que são essenciais para se tornar um orador de sucesso. Vamos falar de algumas delas.

1 – A intensidade da voz

São muito comuns os casos de pessoas que possuem ótimos conteúdo e retórica, estão prontas para transmitir conhecimento mas não possuem um tom de voz adequado – falam baixo demais, fazendo a apresentação ficar tediosa.

A intensidade da voz é um aspecto importante para o sucesso do discurso, pois é o principal instrumento da comunicação verbal – é o seu veículo e precisa estar pronto para viajar!

É preciso buscar o tom adequado e que deve estar relacionado com a atividade – para dar um curso na empresa, você não precisa da mesma entonação usada em um tribunal.

Mas é fundamental escolher o tom que combine com a ocasião. A dicção e a postura, combinados à intensidade da voz, formam o conjunto verbal completo.

2 – A dicção

A dicção no discurso é a forma como você pronuncia cada palavra. Uma dicção ruim dificulta o entendimento de diversas palavras e prejudica a atenção das pessoas ao conteúdo que está sendo transmitido.

É preciso fazer diversos exercícios funcionais para melhorar a articulação e melhorar a pronúncia de todas as palavras. 

Podemos incluir aqui outro aspecto que é o domínio absoluto da língua, para evitar que erros tirem a credibilidade diante da audiência, reduzindo a concentração dela na oratória.

foto 4 - oratoria-politica

3 – A gesticulação

Trabalhar a gesticulação é uma técnica fundamental mas muito negligenciada no dia a dia, especialmente na nossa cultura latina, onde falar com gestos é natural.

Porém, ela é apenas um fator que deve ser cuidado na linguagem corporal. Todos os movimentos transmitem sentimentos e ideias para a plateia, seja um cliente ou um auditório.

Posicionamento dos braços e das pernas, relaxamento do corpo, o olhar, as expressões faciais, tudo deve ser pensado como movimentos que vão beneficiar ou prejudicar uma apresentação.

Um curso de oratória trabalha fortemente a expressão corporal no contexto do discurso.

4 – A objetividade

Um dos maiores problemas no desenvolvimento de uma oratória eficaz é a prolixidade – a falta de objetividade na abordagem e na exposição dos temas, que cansa o interlocutor e prejudica o andamento. 

A objetividade deve ser um objetivo permanente em todas as ocasiões e estilos de oratória, pois isso ajuda o orador a organizar sua estrutura de conteúdo de uma forma positiva.

5 – A narrativa

Aqui está envolvido o centro da oratória: a forma entusiasmada e cativante como o orador desenvolve a apresentação, com uma narração:

  • Envolvente, transformando a narrativa em uma história interessante;
  • Com uma construção com início, meio e fim bem definidos;
  • Com exemplos, comparativos e materiais visuais.

6 – O domínio do assunto

Por último, mas o mais importante: é preciso dominar completamente o assunto que será desenvolvido no discurso, seja em uma reunião com um cliente ou em uma palestra.

Pode parecer óbvio, mas existe uma armadilha escondida: o excesso de confiança. Um discurso eficiente exige um conhecimento de:

  • Como estruturar o assunto;
  • Quais pontos são importantes no evento em questão;
  • Quais pontos devem ser enfatizados;
  • O quanto o domínio técnico é importante no momento.

É comum que pessoas com muita experiência prática explorem o domínio técnico em demasia e tornem o discurso pouco atraente. Portanto, mesmo que seja um expert, lembre-se: o conteúdo deve ser alinhado com a expectativa do público.

Cada estilo de oratória explora esses itens de uma forma própria e um curso de oratória proporciona o estudo do que é mais eficaz em diversas situações.

O que é um curso de oratória?

É um curso destinado a trabalhar e aprimorar todas as ferramentas, recursos e técnicas para fortalecer a capacidade de comunicação através de discursos envolventes.

O curso não faz distinção dos objetivos pessoais, se é para vender melhor com uma oratória política ou para uma carreira de palestrante acadêmico, mais focada na oratória pedagógica.

Os tópicos abordados se destinam a desenvolver todos os estilos, de forma que cada pessoa possa se aprimorar naquele que vai atender às suas necessidades.

Quais os objetivos de um curso de oratória?

O principal objetivo é tornar você um comunicador eficiente através de uma oratória de qualidade. Para isso, um curso qualificado trabalha em várias frentes:

  • Organizar as ideias mentalmente e usar as pausas como apoio;
  • Aprimorar a dicção, o tom e a impostação de voz;
  • Falar com naturalidade;
  • Criar uma narrativa atrativa para a audiência;
  • Saber usar a fala de improviso como recurso natural;
  • Provocar o envolvimento da audiência;
  • Conhecer diversas técnicas presentes nos melhores oradores.

Quem deve fazer um curso de oratória?

É mais fácil falarmos quem não deve fazer, tamanha a abrangência e utilidade que um curso para oratória pode alcançar.

A oratória é uma competência ligada à habilidade humana essencial de comunicar-se. Portanto, em todas as situações onde uma pessoa sentir-se prejudicada pela forma como verbaliza suas ideias, há espaço para aprimorar com técnicas de oratória em um curso.

Seja você um jovem recém-formado em Engenharia e que deseja se expressar de forma mais articulada ou um profissional experiente que está assumindo um trabalho de vendedor, a oratória terá um papel fundamental de melhorar a comunicação e expandir possibilidades.

O recomendado é que a pessoa procure o curso tão logo perceba as suas dificuldades, tais como:

  • Dificuldades para criar um plano de discurso fluente e atraente;
  • Falta de experiência para falar em público;
  • Timidez para falar em público;
  • Dificuldades para empostar a voz;
  • Problemas com a linguagem corporal.

foto 5 - curso-de-oratoria

Pessoas extrovertidas precisam fazer um curso para oradores?

Sem dúvida, sim!

É muito comum as pessoas associarem extroversão à facilidade de comunicação

Se a extroversão não for posta à prova em um momento formal, com ideias estruturadas, estudar muito bem a audiência e usar técnicas que cativam a atenção interessada das pessoas, a pessoa provavelmente passará anos achando que se comunica bem.

Porém, devemos lembrar: comunicar-se é atingir os receptores das suas mensagens com clareza e eficiência. Muitas pessoas extrovertidas podem ser ótimas oradoras, mas não é a extroversão que garante isso; é o interesse por discursar com qualidade.

O curso de oratória pode dar a elas mais recursos combinados à sua personalidade e ajudar a criar discursos imbatíveis!

Vale a pena investir em um curso de oratória?

Com certeza, sim!

Como falamos anteriormente, comunicar-se com eficiência é mais do que usar a oratória para vender mais ou liderar melhor uma equipe. É ter uma qualidade de vida melhor.

Quando aprendemos a usar a oratória a nosso favor, com todas as técnicas que ela proporciona, até as atividades mais rotineiras, como negociar compras, deixam de ser angustiantes.

Evidentemente, um discurso envolvente não vai garantir um preço mais baixo, mas dará a você a confiança de estar em uma negociação em que o vendedor não pareça o único orador.

Por outro lado, se você é vendedor, pode agregar a oratória às suas técnicas de negociação e apresentação, surpreender seus clientes com uma comunicação mais versátil e que seja atraente antes de falar de venda.

Nas relações pessoais, saber discursar pode trazer mais benefícios, principalmente para quem tem dificuldades de comunicar-se em ocasiões formais e quer vencer o medo de falar em público.

Esses ganhos podem aumentar a autoestima da pessoa, motivando-a para apresentar suas ideias e projetos com mais confiança e colher resultados melhores.

Por que fazer um curso de oradores?

Cada pessoa pode viver um momento pessoal ou profissional onde a capacidade de transmitir conhecimento e ideias é fundamental. 

Vamos mostrar alguns motivos pelos quais um curso para formar oradores é benéfico:

  • Um novo emprego que exige comunicação oral constante – palestrar, dar aulas, ministrar cursos, liderar equipes em reuniões;
  • Estar mais bem preparado para situações da carreira acadêmica – defesa de teses de graduação e posteriores;
  • Para entrevistas na busca de um novo emprego, em meio a uma concorrência cada vez maior;
  • Usar a oratória para aprimorar a qualificação profissional;
  • Negociar melhor com clientes;
  • Vencer as dificuldades de comunicação de uma geral;
  • Melhorar a autoestima e a autoconfiança diante de plateias.

foto 6 - por-que-fazer-curso-oratoria

5 erros que derrubam até a melhor das oratórias!

Você fez ou está em um curso para oradores e se sente seguro para praticar todo o conhecimento adquirido. Então é hora de impressionar suas audiências e atingir mais objetivos!

Porém, ao focarmos nas melhores práticas, podemos descuidar de algumas rotinas que podem derrubar até os oradores mais bem preparados.

Veja algumas delas e evite transtornos!

  1. Vestuário: escolha com atenção o traje de acordo com o tipo de evento, o perfil da plateia, o local e o clima, para que você esteja confortável e transmita uma boa imagem;
  2. Ambiente: pesquise a localização do evento, condições de tráfego, estacionamento e quantidade de pessoas. Isso ajuda a dimensionar toda a logística que virá;
  3. Material de apoio: separe com o máximo de antecedência todos os materiais de apoio, digitais e físicos, especialmente aqueles que serão distribuídos entre as pessoas;
  4. Equipamentos: para que não haja imprevistos, inspecione previamente todos os equipamentos eletrônicos que serão usados;
  5. Descanso e alimentação: esse é um detalhe que poucas pessoas analisam. Tenha uma noite de bom sono e faça uma refeição leve para chegar bem disposto ao evento. Cansaço e fome são inimigos da performance até do melhor orador!

Alguns dos maiores oradores da Idade Contemporânea

A História registrou excelentes oradores e a Idade Contemporânea possui alguns dos mais marcantes. Porém, ao falarmos dos maiores oradores, é importante lembrarmos que a oratória é uma competência.

Desta forma, assim como a inteligência, o carisma e outros atributos, devemos avaliar os estilos, a aplicação das técnicas, independente dos objetivos definidos para serem alcançados. 

Isso é importante observar, pois a oratória é um recurso fundamental para que personagens da História tenham alcançado resultados condenáveis, mas não invalida a eficiência dos métodos usados.

Nelson Mandela

Um dos maiores nomes da história contemporânea e símbolo da luta contra o preconceito e a perseguição racial, Mandela se destacava por uma oratória excepcional onde as pausas eram uma característica marcante.

As pausas são um recurso muito eficiente:

  • Dara ditar um ritmo sem atropelos para a fala;
  • Planejar o próximo passo do discurso, sem que haja muita informação acumulada mentalmente sem paradas para organizar;
  • Criar uma expectativa pela continuidade, prendendo a atenção;
  • Dar à audiência a oportunidade de assimilar melhor o discurso aos poucos.

Pode ser usado especialmente em oratórias solenes e longas, com regras específicas para tamanhos de frase e parágrafos. 

Martin Luther King Jr

Luther King é ninguém menos que a fonte de inspiração de Obama e notabilizou sua oratória magnética por muita ênfase em palavras (estressar) e repetições de expressões como a Eu Tenho Um Sonho no antológico discurso I Have A Dream em 1962.

A repetição é um recurso muito usado em oratórias religiosas para reforçar valores – e influenciar as pessoas – de forma crescente ao longo dos discursos.

Barack Obama

O primeiro presidente negro norte-americano é um notável orador, com magnetismo pessoal, carisma, dicção e articulação invejáveis. 

Sabe, como poucos, estressar (ressaltar) palavras-chave em seu discurso, de forma a gravá-las na mente de audiência – que para ele eram pessoas em todo o mundo.

Sua linguagem corporal altiva e confiante marca presença em vídeos e confere credibilidade às palavras, além de uma narrativa com muitas experiências pessoais que criam uma conexão emocional invejável.

Obama também repetia uma expressão – I Believe – em seus discursos a ponto de virar slogan da sua campanha presidencial.

foto 7 - maiores-oradores-historia

Donald Trump

O presidente norte-americano mais polêmico de toda a História é dotado de uma oratória muito particular e que ele construiu a partir de dois mundos onde o discurso é fundamental: os negócios em alto nível e a televisão.

Podemos dizer que seu tom é essencialmente arrogante, com frases ditas claramente em um inglês by the book, sem contrações de verbos – I am not deeply confident – de forma a pontuar a força de cada palavra e estressar termos.

À parte o uso polêmico e negativo de muitos discursos, Trump transmitia uma paixão e vigor pelo que falava que era capaz de colocar opositores em dúvida.

Mas Trump é também um bom exemplo do que podemos e não podemos fazer em oratória.

Adolf Hitler

É importante novamente lembrarmos: os fins não invalidam como Hitler era um excepcional orador, que usou essa competência para cobrir o mundo de mortes e destruição.

Hitler usou sua oratória inflamada – que teria sido forjada na raiva pelo desprezo com que era tratado até chegar a Chanceler em 1933 – e usar seu poder de comunicação para pôr em curso o capítulo mais cruel da Humanidade.

Os discursos carregados de ressentimento e ódio encontraram eco em milhões de cidadãos de um país ainda devastado pelos efeitos da I Guerra Mundial. É o caso clássico de discurso que encontra a plateia.

O que aconteceu em seguida prova como uma oratória eficaz pode atingir os objetivos, mesmo que infelizmente sejam os mais abomináveis.

Ser um mestre da oratória não nasce com a pessoa e nem é um prazer para poucos.

Fazer ótimos discursos é perfeitamente possível para todas as pessoas, desde que todos os detalhes sejam valorizados e que as técnicas sejam estudadas e aplicadas.

Como vimos, a qualificação é um processo que envolve mudanças de comportamento, atenção com uma série de detalhes e muita prática. Por este motivo, é fundamental buscar apoio especializado para impressionar as plateias, desde um cliente a um auditório lotado.

Um curso de oratória é o lugar onde você terá todas as orientações e se tornará um orador de sucesso!